O terror de José Mojica Marins em noite de homenagem

O terror de José Mojica Marins em noite de homenagem

Tinha tudo para ser uma cena de cinema, mas era puro acaso: em uma noite de frio e chuva, o Tapete Vermelho do Festival de Cinema de Gramado foi o último lugar de descanso de um morcego, que morreu ali mesmo, onde artistas, cineastas e públicos em geral passam todos os dias para conferir os filmes em exibição no Palácio dos Festivais. Se a chuva parecia lamentar a ausência, por motivos de saúde, do homenageado José Mojica Marins, o morcego já indicava o que estava por vir: Liz Marins, filha de Mojica, viria representá-lo na entrega do troféu Eduardo Abelin. Ela, que também se dedica ao cinema e incorpora a personagem Liz Vamp, filha do icônico Zé do Caixão interpretado por seu pai, trouxe o fantástico para o Tapete Vermelho ao ser acompanhada por outros personagens que davam o clima do gênero que Mojica ajudou a introduzir na cinematografia brasileira.

Ao receber o troféu em nome do pai, Liz Marins desmistificou muito do que é atribuído ao profissional José Mojica Marins. Ela reconhece, claro, a inegável representatividade de Zé do Caixão, mas também faz questão de reforçar a trajetória dele como cineasta e como um grande guerreiro da indústria cinematográfica brasileira: “Na caminhada do Tapete Vermelho, vi meu pai adolescente nas telas, e lembro que ele não foi ‘somente’ o Zé do Caixão. Ele teve toda uma trajetória de vida e cinema desde os anos 1950 quando ganhou, ainda adolescente, uma câmera de seu pai. Durante todo esse tempo, sofreu muitos preconceitos e discriminações dentro de seu próprio país, enquanto era reconhecido mundo afora. Por isso, a homenagem desse Festival ao meu pai significa o reconhecimento da pátria que ele sempre amou a esse homem que nunca desistiu dela mesmo quando muitos o desdenhavam pela falta de estudo”.

Hoje com a saúde frágil, José Mojica Marins está aos cuidados da filha, que não vê qualquer tipo de fardo nessa interação. “Não deixo de me sentir meio mãe dele. A relação se inverteu, mas isso também é muito legal, pois a gente ainda divaga, cria, se diverte. Pai, só posso dizer que te amo muito e tenho muito orgulho do que o senhor é em todos os aspectos. Você me ensinou muita coisa e o mais importante é a idéia de que, se cair, não tem problema, basta se levantar”, disse emocionada. Quem se junto à Liz na homenagem foi o curador Rubens Ewald Filho, responsável pela entrega do troféu. Rubens definiu Mojica como uma “figura única na história do cinema brasileiro”, um sentimento carinhoso compartilhado por outros dois amigos que enviaram uma mensagem em vídeo ao homenageado: Satã, assistente e segurança de muitos anos de Mojica, e o escritor, desenhista e roteirista Rubens Luchetti. Observando o carinho dos amigos de seu pai, Liz comemorou: “Vocês não têm noção de como esse momento é importante. As melhores homenagens acontecem em vida e, graças a Deus, meu pai ainda está muito vivo!”.

José Mojica Marins pode até não ter viajado a Gramado, mas deu um jeitinho de estar junto ao público do Palácio dos Festivais. Em um vídeo exclusivo gravado por ele, Mojica agradeceu a homenagem e disse estar feliz por ser representando pela filha. “Estou feliz com a minha filha aí. Ela é a mesma coisa que eu, pois segue meus passos no gênero sobrenatural, cumprindo sua missão no setor do cinema de terror. Minha carreira começou nos anos 50 e só nos anos 60 nasceria Zé do Caixão, que correu e está correndo o Brasil e o mundo. Nós [do cinema de terror], não temos o mesmo aval de outros países, mas o que importa é o que fazemos”, disse Mojica.

Ao fim da sessão, a chuva havia abrandado e o morcego já não estava mais no Tapete Vermelho. Era como se Gramado, enfim, não lamentasse mais a ausência do mestre do terror.

Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura apresentam o 44º Festival de Cinema de Gramado. Patrocínio: BNDES, Stella Artois e Petrobras, e copatrocínio do Banrisul - Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Todos pelo Rio Grande. Apoio especial: Sundance Channel e Snowland. Apoio: Caracol Chocolates, Stemac, Lojas Pompéia, More Bass, G2 Net Sul, CiaRio, O2 Produções, Canal Brasil, Revista de Cinema, RBSTV, CVC, FreeCharge e Savarauto. Apoio institucional: Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Fundacine, ACCIRS, IECINE, APTC e SIAV, TVE e FM Cultura. Agência Oficial: BusTour. Ingressos: Imply. Direção Artística: Histórias Incríveis. Agente Cultural: AM Produções. Promoção: Prefeitura de Gramado. Financiamento: Pró-Cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Realização: Gramadotur, Ministério da Cultura, Governo Federal.

(Foto: Edison Vara/Pressphoto)

Outras Notícias: